* As tarifas, ofertas e condições apresentadas podem sofrer alteração sem aviso prévio.

rua de paralelepípedos com casas históricas em uma rua de Pirenópolis  

Você gosta de literatura? E de trilhas ecológicas? Se a resposta para qualquer uma das perguntas for “sim”, o Caminho de Cora Coralina vai conquistar seu coração!

Adorado por aventureiros de todo o Brasil, esse percurso que passa pelo coração de Goiás proporciona uma experiência única para quem se dispõe a percorrê-lo. Afinal, não é todo dia que você encontra um roteiro que une cultura, poesia e contato direto com a natureza. O Caminho de Cora Coralina é uma trilha de longo percurso e rota turística que atravessa alguns dos encantos naturais mais incríveis do Cerrado goiano e ainda homenageia a grandeza da poesia brasileira.

Gostou, né? Então continua por aqui, que hoje nós vamos te contar tudo que você precisa saber sobre esse ícone do ecoturismo Goiás. Vem descobrir quais as oito cidades que fazem parte do Caminho de Cora Coralina, o que esperar de cada uma delas e como o famoso percurso surgiu.

Saiba mais sobre a história do único caminho de poesias do mundo

Único caminho de poesias do mundo: esse é o título lindo que o Caminho de Cora Coralina carrega com orgulho.

Embora a popularização turística do trecho seja recente, ele começou a ser desbravado há muito mais tempo do que a maioria das pessoas imagina. O percurso que deu origem ao Caminho de Cora Coralina foi explorado pela primeira vez em 1778, quando fez parte dos relatos de viagem de Luís da Cunha Menezes. No século 19, o mesmo caminho foi percorrido pelos naturalistas Johan Emanuel Pohl e Auguste de Saint-Hilaire.

Mais para frente, no final do século, o Caminho de Cora Coralina foi documentado pelas autoridades oficiais no Relatório Cruls, desenvolvido pela Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil. Só muito mais tarde, quando já era protagonista de muitos registros geográficos e sociológicos, o percurso chamou a atenção da Agência Estadual de Turismo por causa de seu imenso potencial para atividades ecoturísticas.

Assim, em 2017, o grande trecho de 300 quilômetros de extensão ganhou uma estrutura pensada especialmente para os visitantes e foi batizado. No mesmo ano, começou a se formar a Associação Caminho de Cora Coralina, que hoje conta com mais de 30 estabelecimentos e empreendedores distribuídos por todo o percurso e dedicados a oferecer o melhor apoio aos aventureiros.

Quem foi Cora Coralina?

Mas, afinal… de onde veio o nome do Caminho Cora Coralina?

Os fãs de poesia talvez já conheçam a resposta para essa pergunta: Cora Coralina era o pseudônimo e assinatura artística de Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas. Nascida em 1889, na cidade de Goiás, ela revolucionou a literatura brasileira com seus poemas e contos. Considerada uma das maiores escritoras da história nacional, Cora Coralina foi a mente responsável por obras icônicas como Poemas dos Becos de Goiás e estórias mais, Vintém de Cobre e Estórias da Casa Velha da Ponte.

Apesar de ter passado a vida inteira escrevendo, Cora Coralina só publicou seu primeiro livro em 1965, quando já tinha 75 anos de idade. O sucesso foi tardio, mas gigantesco: a delicadeza tocante dos versos da autora alcançaram o mundo inteiro e colocaram a poesia goiana debaixo dos holofotes mais brilhantes da alta literatura.

Cora faleceu em 1985, mas seu legado é imortal – tanto é que serviu de inspiração para o nome do Caminho de Cora Coralina –. Além de prestar uma adorável homenagem (merecidíssima, por sinal), o percurso também passa pela cidade onde fica a antiga casa da escritora e outros lugares importantes para a trajetória dela. Imagina conhecer tudo isso de perto!

Caminho de Cora Coralina: povoados e unidades de conservação

Como já mencionamos ali em cima, o Caminho de Cora Coralina é um longo percurso que passa por 300 quilômetros de trilhas. Ele começa em Corumbá de Goiás, cidade que fica a aproximadamente 120 quilômetros de Brasília e 113 quilômetros de Goiânia, capital do estado.

Estamos falando de um trecho que interliga cinco unidades de conservação, responsáveis por proteger a riqueza natural do Cerrado, e vários outros atrativos maravilhosos do interior de Goiás. Para visualizar melhor, confira o mapa do Caminho de Cora Coralina!

Confira um pouco mais sobre as oito cidades goianas que fazem parte do passeio

O emocionante percurso do Caminho de Cora Coralina passa por mais sete cidades goianas além de Corumbá de Goiás. São os municípios de Cocalzinho de Goiás, Pirenópolis, São Francisco de Goiás, Jaraguá, Itaguari, Itaberaí e Cidade de Goiás.

Anotou? Não? E nem precisa. Abaixo, fizemos uma lista especial com todas as cidades do Caminho de Cora Coralina e algumas informações valiosas sobre cada uma delas. Ah, caso você esteja se perguntando: a rota costuma ser percorrida de bicicleta ou a pé. É só escolher sua modalidade de trilha favorita e vir com a gente!

Corumbá de Goiás

Rio que corre por entre as cachoeiras na cidade de Corumbá de Goiás

O ponto de partida do Caminho de Cora Coralina não poderia ser melhor: nosso passeio começa em Corumbá de Goiás.

Banhada pelas águas escuras do Rio Corumbá, a cidade é conhecida por abrigar algumas das melhores cachoeiras de Goiás. Se você adora se refrescar em longos mergulhos revigorantes, vai adorar conhecer atrativos como o Salto Corumbá, um parque ecológico onde é possível aproveitar o espetáculo natural das riquezas fluviais. A Cachoeira do Salto, protagonista do espaço, é tão linda que ficou famosa entre os entusiastas estrangeiros do ecoturismo ao aparecer na capa da revista National Geographic.

Outros pontos de Corumbá de Goiás que merecem um espacinho no seu roteiro são a Cachoeira da Gruta e a Cachoeira do Monjolinho.

Cocalzinho de Goiás

Assim como a vizinha Corumbá, de quem está separada por 20 quilômetros, Cocalzinho de Goiás esbanja exuberância natural.

Essa simpática cidadezinha reúne vários tesouros formados por quatro grandes rios: Areias, Corumbá, Verde e Oliveira Costa. Não faltam opções de cascatas espetaculares! Você não pode deixar de visitar a Cachoeira dos Caiapós, a Cachoeira de Pedro Belo e a Cachoeira Sete Grota. Também em Cocalzinho de Goiás, você vai encontrar a maior caverna composta por micaxisto do mundo. A Caverna dos Ecos é de uma imensidão que impressiona – seus gigantescos salões rochosos são verdadeiras obras de arte da natureza.

Também vale mencionar que a Caverna dos Ecos abriga o maior lago subterrâneo de toda a América Latina, o Lago dos Ecos, que tem 300 metros de comprimento e águas de uma tonalidade azulada única.

Pirenópolis

Quem gosta de turismo cultural sempre é feliz em Pirenópolis.

Afinal, essa é uma das cidades históricas mais importantes de Goiás. Para você ter uma ideia, o conjunto arquitetônico que você poderá visitar por lá é tão precioso que recebeu o título de Patrimônio Histórico Nacional. Como se isso não bastasse, Pirenópolis ainda é o lar de várias tradições seculares fascinantes, como as famosas Cavalhadas. Tem até um espaço dedicado especialmente a essas celebrações populares: é o incrível Museu das Cavalhadas. Também vale a pena visitar a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário e o Mirante do Ventilador, que garante uma vista de tirar o fôlego.

Depois de conhecer a apaixonante bagagem cultural e histórica de Pirenópolis, aproveite para se deliciar com os quitutes da roça no café servido pela Fazenda Babilônia. A cidade fica a 40 quilômetros de Cocalzinho de Goiás.

São Francisco de Goiás

O próximo ponto da nossa trajetória pelo Caminho de Cora Coralina está a mais ou menos 54 quilômetros de Pirenópolis. Estamos falando de São Francisco de Goiás!

Dona de uma bagagem histórica de mais de 200 anos, a cidade é um prato cheio para quem gosta de história. Entre os tesouros seculares do Centro, estão construções como a Igreja Matriz de São Francisco de Paula, um belíssimo exemplar da arte barroca brasileira. Na Praça do Chafariz, principal ponto de encontro de São Francisco de Goiás, é possível apreciar uma das mais importantes obras do artista plástico goiano Veiga Valle: o Chafariz da Cidade.

Por fim, vale mencionar que São Francisco de Goiás abriga ainda a sede da Associação do Caminho de Cora Coralina, responsável pela organização e pela estrutura turística do percurso.

Jaraguá

Situada a 24,5 quilômetros de São Francisco de Goiás, Jaraguá é mais um paraíso do ecoturismo que faz parte do Caminho de Cora Coralina.

Nos arredores da cidade, as paisagens naturalmente exuberantes do Cerrado ganham uma cor diferente: os ipês-roxos enfeitam a região com suas flores de tonalidade violeta. O plano de fundo, igualmente lindo, é composto pelas montanhas que podem ser exploradas no Parque Ecológico da Serra do Jaraguá. Nele, você poderá se aventurar em trilhas das mais diversas durações e níveis de dificuldade. Uma coisa é certa: todas são maravilhosas!

Durante sua estadia em Jaraguá, aproveite para visitar também a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, que têm um charme arquitetônico imperdível.

Itaguari

A 53 quilômetros de Jaraguá, você vai encontrar a charmosa Itaguari.

Apesar de pequenino – são cerca de 5.000 habitantes –, o município encanta muitos visitantes com sua atmosfera interiorana super aconchegante. Ele também tem opções de passeios capazes de agradar todo mundo: você pode se refrescar na Cachoeira do Itaguari, bater perna entre os casarões coloniais do Centro Histórico e aproveitar as águas do Rio Itaguari para se divertir com atividades como canoagem, pesca esportiva e stand up paddle.

Conhecida pela fertilidade de suas terras e pela farta produção agrícola, Itaguari também tem muitas fazendas cafeeiras que podem ser incluídas no seu roteiro se você for fã de turismo rural. O cafézinho no final do passeio é sempre uma delícia!

Itaberaí

Serra dos Pireneus em Goiás

Quer contemplar cenários sensacionais e ainda comer bem? Pode se animar para visitar Itaberaí, localizada a 27 quilômetros de Itaguari!

Separado de Itaguari por 26 quilômetros, o município costuma encantar os turistas por causa das paisagens formadas pelo Rio das Pedras. A natureza também presenteou Itaberaí com várias belezas serranas, como a Serra das Fazendinhas, a Serra das Lages e uma parte da Serra dos Pireneus. Nas três, é possível curtir atividades radicais como trilhas e escaladas. Além de tudo isso, as grandiosas galerias subterrâneas da Gruta do Gongomé também costumam fazer sucesso entre os aventureiros.

Por fim, aproveite a parada em Itaberaí para apreciar as delícias típicas da culinária goiana. A cidade tem muitos estabelecimentos que servem o melhor da comida caseira!

Cidade de Goiás

Prédios antigos e igreja no centro histórico de Cidade de Goiás

Por último – mas não menos apaixonante –, a Cidade de Goiás é responsável por fechar o Caminho de Cora Coralina com chave de ouro.

O último ponto do nosso passeio fica a 42,5 quilômetros de Itaberaí e já carregou o título de capital estadual. Apelidado carinhosamente como “Goiás Velho”, o município foi fundado em 1729. Mesmo após muitos séculos de existência, a Cidade de Goiás preserva sua memória histórica com carinho: as relíquias arquitetônicas do Centro, por exemplo, seguem conservadas. Foi por causa delas que a cidade entrou para a lista de Patrimônios Históricos Mundiais da UNESCO. Na quinta-feira da Semana Santa, as antigas ruas se tornam palcos da tradicional Procissão do Fogaréu.

É na Cidade de Goiás que fica o memorial dedicado à autora homenageada pelo Caminho de Cora Coralina. Na Casa e Museu de Cora Coralina, você terá a oportunidade de conhecer a residência onde a poetisa morou por muito tempo. O incrível acervo inclui fotografias, objetos pessoais e manuscritos que vão te ensinar um pouco mais sobre a vida e a obra dessa lenda da literatura nacional.  

Tudo que você precisa saber antes de embarcar nesta aventura

Já se encantou pelo Caminho de Cora Coralina, né? A gente entende. Sua ansiedade para conhecer essa rota incrível já deve estar nas alturas, mas é importante dedicar um tempinho ao planejamento antes de se jogar nessa grande trilha.

Caso você tenha decidido percorrer o Caminho de Cora Coralina a pé, prepare-se para andar bastante: o trajeto total costuma levar de 13 a 16 dias, considerando uma média de mais ou menos 25 quilômetros percorridos por dia. Se preferir fazer esse grande passeio sobre duas rodas, pode considerar uma média de 40 quilômetros por dia. De bike, a maioria dos viajantes leva uns 8 dias para completar o percurso.

Além do tempo de deslocamento, lembre-se de incluir no seu cálculo mais uns 2 ou 3 dias, para que você consiga curtir os atrativos dos pontos de parada sem correria. Nossa dica é escolher com antecedência os lugares em que você pretende passar mais de uma noite e sair com um itinerário organizado. Ah, não se preocupe: entre as cidades que listamos aqui, você vai encontrar muitos povoados e vilas onde é possível se hospedar.

Para curtir tudo que o Caminho de Cora Coralina tem a oferecer, é importante fugir da época de chuvas. Não dá para fazer trilhas tão longas debaixo d’água, né? Por isso, planeje sua viagem para o período de estiagem, que acontece entre maio e setembro. Em maio e junho, muitos dos rios e cachoeiras que você encontrará pelo caminho ainda estão bem cheios.

Outra recomendação importante é se ligar na bagagem. Leve o mínimo de coisas que conseguir! Não é legal caminhar ou pedalar com bolsas pesadas. Mas não se esqueça de incluir alguns itens essenciais, como trajes com proteção UV, chapéu, lanterna de cabeça, baterias portáteis (para o celular), repelente, água, kit de primeiros socorros e um protetor solar potente.

Por fim, quando estiver passando pelo Caminho de Cora Coralina, evite caminhar durante a noite e não saia do percurso sinalizado. Nada de pegar atalhos, hein? Segurança em primeiro lugar!

Se encante com as maravilhas do Caminho de Cora Coralina e não deixe de garantir a sua estadia no Rio Quente!

Piscina de águas quentes do Rio Quente, no meio do cerrado goiano

De bike ou a pé, o Caminho de Cora Coralina é sempre inesquecível!

Se o seu objetivo nas próximas férias é sair da rotina, essa é a aventura diferenciada que você estava procurando. O Caminho de Cora Coralina é um jeito incrível de passar vários dias desvendando a biodiversidade fantástica do Cerrado goiano e apreciando algumas das paisagens mais arrebatadoras do Brasil. Caso prefira, você pode escolher algumas das cidades que listamos aqui e percorrer só uma parte da rota – a gente garante que o passeio vai ser sensacional de qualquer jeito –.

Agora….quer deixar sua viagem ainda mais memorável? Vem passar uns dias no Rio Quente! Aqui, você recupera as energias em grande estilo depois de desbravar o Caminho de Cora Coralina. Inclusive, é claro que a gente não deixaria de homenagear nossa grande poetisa por aqui. No Rio Quente temos um restaurante exclusivo pra isso, o Restaurante de Cora, repleto de referências à vida e à obra da escritora!

Mergulhe nas águas mágicas das fontes termais, relaxe entre as paisagens verdes e apaixone-se pela cultura goiana: a experiência Rio Quente espera por você, e pode deixar que ela será deliciosa.

Só que não acaba por aqui, tá? O Rio Quente Resorts conta ainda com o Hot Park, um dos melhores parques de diversão do mundo, segundo a Trip Advisor. Quem se hospeda com a gente ganha acesso e transporte para o parque, então é só chegar e aproveitar tudo o que esse complexo no meio do cerrado goiano tem pra te oferecer!

Quer falar com a gente?

É só nos chamar no WhatsApp ou telefone a qualquer hora!

Central de reservas

Capitais

4000-1449
(Para mais informações de Rio Quente e Costa do Sauipe, tecle 1 e para Hot Park, a opção 2)

Demais localidades

DDD + 4000-1449
(Para mais informações de Rio Quente e Costa do Sauipe, tecle 1 e para Hot Park, a opção 2)

Eventos